sábado, 9 de janeiro de 2010

(Me) Liga (vai)

Como um dos membros femininos que aderiu a'O Banco no facebook, expressou o desejo que a página não fosse muito machista, nada melhor que começar com uma foto que a única ligação que tem com o post é um trocadilho de mau gosto, só para meter aqui uma miúda descascada!

E agora que o melhor do post já está, passemos então ao que não tem jeitinho nenhum. Ao fazer a habitual ronda matinal pelas notícias dos sites do costume, eis que me deparo com esta notícia.

A Comissão para a Regeneração da Liga de Honra, a 2ª divisão do nosso futebol para os mais distraídos, está a estudar a hipótese de alargar o número de clubes participantes, o que significaria que passariam a ser 36 as equipas profissionais na bola cá do burgo.

Antes de dar a minha opinião sobre o assunto, algo que vos deve interessar tanto como o sistema digestivo do caranguejo-riscado-dos-trópicos, analisemos a própria notícia, começando pelo facto de existir a própria comissão o que por si só já indicia que há problemas.

Assim de repente eu diria que os mais graves são o facto de muitos desses clubes, não terem dinheiro para mandar cantar um cego (nem para mandar um coxo a jogar à bola) e num espectacular sintoma de causa-efeito-causa-efeito-causa-efeito (and so on...) ninguém ir lá ver a bola.

Perante este cenário, o que é que estes iluminados pensam? Reduzir o número de clubes, diminuindo por este meio os encargos e aumentando a competitividade? Naaaa.... Vamos é alargar esta porcaria, para termos ainda mais jogos que ninguém quer ir ver e assim aumentar os custos porque há ainda mais jogadores a quem pagar ordenados. A ideia em concreto seria colocar equipas B (dos maiores clubes) no 2º escalão, penso que para aumentar a atractividade da competição. Mas alguém acredita que isto resulte?

Depois é bom não esquecerem que ao darem hipótese aos "grandes" de porem os seus jogadores a rodar numa equipa B, o número de jogadores emprestados iria diminuir drasticamente, aumentando os encargos sobre os clubes que normalmente recebem estes jogadores, porque teriam que contratar e sobretudo pagar a outros para preencher os seus plantéis. Como o dinheiro não abunda (nem iria abundar) os jogadores a contratar não seriam certamente nem Messis nem Cristianos Ronaldos, o que de certeza que não contribuiria para trazer mais público aos estádios, mantendo-se (ou pior agravando-se) o problema!

Assim sendo, a minha opinião é que esta ideia é parva. E pronto, já opinei!

2 comentários:

Caneleiras de cortiça disse...

Falta só acrescentar que esses clubes (sobre)vivem à custa de "subsídios" camarários. Quanto maior o escalão, maior a despesa. Quanto maior a despesa, maior o subsidio. Ou seja, quantos mais clubes estiverem em divisões superiores, mais tu pagas.

low desert puke disse...

Bom post.

Essa ideia nunca passarà. Pelos simples facto que hà uns anos as equipas B dos principais clubes existiam e existiram até o Peido da Costa culminar a sua pressao invisivel com o fim dessas mesmas equipas B. A causa? Entao faz sentido ter 25 jogadores na equipa B em vez de os espalhar pelo paìs, de forma a "cobrar" com pontos preciosos em algumas jornadas espalhadas pelo campeonato?

Pesquisa personalizada