segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Voltei, voltei. Voltei de lá...

Voltei, voltei!
Voltei de lá,
ainda ontem estava em França
e agora já estou cá!

Não foi de França, foi de férias, mas o "França" dá-me jeito para iniciar o post.

... por falar em França, parece que a Federação gaulesa lá arranjou maneira de pôr o Domenech a andar, sem ter que lhe pagar um tostão, alegando falhas graves e pondo assim fim a uma ligação que contratualmente se apresentava sem termo certo.

Ora os franciús, que não se conseguiam ver livres do Domenech, arranjaram 3 motivos ("graves" segundo eles) e lá mandaram um pontapé no cú do palerma que agora está livre para ir afundar treinar outro clube ou selecção, motivos esses a saber:

1. Não informou correctamente a Federação do desentendimento com o Anelka, no intervalo do México-França.
2. Ter lido para a comunicação social o comunicado dos jogadores, no dia em que estes se recusaram a treinar.
3. Ter-se recusado a apertar a mão do Parreira no final do jogo contra a África do Sul.

Pois bem, parece-me uma excelente fonte de inspiração, para o Sr. Madaíl e seus pares arranjarem uma desculpa para mandar o Carlos "hi guys" Queiroz embora e deixarem o Agostinho Oliveira treinar a selecção em paz, sem ter que estar preocupado a justificar opções completamente contrárias às que foram tomadas durante o Mundial. Ou seja, parece-me que é fácil arranjarem 3 "falhas ainda mais graves" no comportamento do Carlos "justiça governamental" Queiroz, para lhe porem um par de patins e não terem que lhe pagar um centavo, como sejam:

1. Não informou correctamente a Federação do desentendimento com os médicos da ADop, tendo inclusivamente mandado o Luís Horta fazer controlos anti-doping, para a c*** da mãe dele.
2. Ter escrito os comunicados dos jogadores Simão e Paulo Ferreira, quando estes anunciaram que se retiravam da selecção (sei que para muitos, onde me incluo, este foi talvez o melhor acto do Carlos "não sei o que é a série 'O Polvo' porque vivi 16 anos no estrangeiro" Queiroz, mas tem paralelo ali com o ponto dos franceses)
3. Não só não apertou a mão do Jorge Baptista, como ainda lhe pregou um selo na fronha.

Portanto, Sr. Madaíl se precisava de motivos, inspire-se nos seus colegas franceses e avance sem medos, ainda que este seja, talvez desde Saltillo, o momento em que a Selecção mais se identifica com o país real e que portanto melhor o representa, mas estas incoerências são elas também um ex-libris da nação e vai daí que:

Contra os canhões, marchar...
Marchar!!!

5 comentários:

pitons na boca disse...

Alto lá, que nem todas as decisões foram contrárias ao que se passou no Mundial!!

Afinal, estava em piloto automatico.

low desert puke disse...

O pitons tem razao.

Certos jogadores sao titulares e ninguém sabe muito bem porque, tal como no Mundial, ou muito simplesmente sao chamados e aqui também ninguém sabe muito bem porque. Outros hà ainda que mesmo jogando a um nivel tao ou mais alto, continuam a nao ser chamados.

Mas nem todos os casos aparentam tanta gravidade. Pois aposto que o Rui Patricio a partir do momento em que deixar de ser titular por causa do alemao, começarà a ser chamado. Vai uma apostinha?

ana disse...

E hoje, de acordo com O Jogo, O MOTIVO por que ele devia ir embora sem ser indemnizado: 82,5% do pessoal quer ver o homem pelas costas. E como o povo é quem mais ordena e a FPF é uma empresa de utilidade pública... ah, espera! não é nada! F***. Também não é por aí! O prof sabe-a toda...

ana disse...

Eu disse que a m**** do boné ainda ia dar azar à selecção... mas algum dos editores me deu ouvidos? nããããããoooo.

Repórter H disse...

Deixa lá o boné, que ainda há muito sol! No inverno tiro.

Pesquisa personalizada