segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Os milhões do Benfica

Há poucos dias, o LFV prometeu reforços e nenhuma saída...
Então devia haver dinheiro no orçamento...


Mas o que dizia o orçamento?


Benfica com prejuízo de 1,748 milhões de euros

Na última época, o Benfica teve um prejuízo de 1,748 milhões de euros, apesar de ter aumentado as receitas. Segundo o presidente do clube da Luz, o resultado negativo é justificado com dívidas antigas, como a referente à Euroárea e que foi totalmente liquidada durante a época 2008/2009.

O clube “encarnado” até aumentou as receitas, mas o pagamento de dívidas antigas, sobretudo a que tinha para com a Euroárea levou a que as contas do Benfica ficassem no “vermelho”.

A informação prestada aos jornalistas na apresentação dos resultados referentes à época 2008/2009 não fala sobre o passivo do clube que está orçado em cerca de 160 milhões de euros, mas destaca a resolução definitiva do caso Euroárea, que vem dos tempos em que Vale e Azevedo dirigia o clube.

A herança do caso Euroárea custou ao Benfica três milhões de euros neste exercício, tendo em conta os compromissos assumidos em 1999 relacionados com os terrenos da urbanização sul do antigo Estádio da Luz e da Quinta da Trindade no Seixal.

«Apesar do incremento assinalável do lado das receitas e dos resultados operacionais correntes, o exercício apresenta um resultado líquido negativo e consequentemente um desvio em relação ao orçamento aprovado no ano passado. Este desvio tem um nome e uma razão: processo Euroárea», disse Luís Filipe Vieira.

Os custos aumentaram mais de 10 por cento, também pela exploração própria da loja do Benfica no Estádio da Luz, depois da falência da TBZ.

Neste relatório e contas, aprovado por maioria e sem votos contra, destaque ainda para o aumento dos proveitos operacionais em 3,6 milhões de euros.

Neste exercício de 2008/09, o Benfica apresentou um prejuízo que vai para além do 1,7 milhões de euros.

O Benfica tem capital próprio no “vermelho”, apresentando um valor negativo de 17,115 milhões de euros.


A dívida à Euroárea tinha sido saneada???

NEGÓCIOS ESTRANHOS

Alguma coisa está
podre quando um clube

GRAÇA ROSENDO vem da escola do jornalismo de investigação do extinto «Independente» (o bom, porque também houve o mau), o que quer dizer que não é propriamente uma menina recém-chegada ao jornalismo, disposta a escrever qualquer coisa que o director lhe diga que faz vender jornais. Assim, a peça que ela escreveu no penúltimo número do «Sol», sobre as dívidas do Benfica à Euroárea decorrentes da construção do centro de treinos do Seixal, é história que merece ser analisada mais de perto. Aliás, o artigo que logo se seguiu sobre o assunto, aqui, na «Bola», e a reacção do porta-voz da Luz, demonstraram bem que o tema gera bastante desconforto.

Desde logo, salta à vista o facto de, no conjunto de uma dívida cujo total chega aos 24,5 milhões de euros, o Benfica ter já falhado a primeira prestação, de apenas 2,5 milhões, titulada por uma letra de que é avalista. E se falhou o pagamento desses 2,5 milhões, como honrará, em Setembro, o pagamento dessa quantia mais os 22 milhões que então se vencem? A segunda coisa que não pode deixar de preocupar alguns benfiquistas é pensar que esses 24,5 milhões representam o dobro daquilo que efectivamente era devido, mas que a falta de cumprimento contratual por parte do clube fez accionar a cláusula penal do contrato — a qual previa exactamente a duplicação do montante em dívida. E também deve dar que pensar que esses 24,5 milhões representem exactamente aquilo que o clube já gastou em contratações para a próxima época e representem também o total do orçamento do futebol para a época agora iniciada — e de onde tal dívida não consta orçamentada.

Mas isso são preocupações dos sócios benfiquistas, se as quiserem ter. E a verdade é que os sócios benfiquistas, que votaram maciçamente em Luís Filipe Viera (...), ouviram-no dizer na campanha eleitoral que não lhe falassem do défice, se queriam ter uma equipa de futebol competitiva. (...) os sócios benfiquistas desertaram também maciçamente a Assembleia Geral onde as contas e o orçamento do próximo ano foram aprovados. A mim, as dívidas do Benfica não me interessam nem me ocupam — excepto se, como também se pode inferir da notícia de o «Sol», elas vierem a ser cobertas, no todo ou em parte, pela Caixa Geral de Depósitos, porque aí já são os dinheiros públicos que entram em cena e julgaria inaceitável que o banco do Estado andasse a financiar um clube que, em lugar de pagar dívidas, compra jogadores.(...)

Porém, se venho a este tema, é porque há, na peça da Graça Rosendo, uma parte que me fez disparar uma campainha de alarme. Como é que a direcção da SAD do Benfica, presidida então, como agora, por Vieira, se propôs pagar à Euroárea os custos da compra do terreno e construção do centro do Seixal? Em dinheiro, em partilha de receitas, em direitos de exploração? Não: propôs-se pagar em forma de tráfico de influências políticas. É isso mesmo que se infere do contrato assinado entre ambas as partes. O Benfica propôs à Euroárea cumprir a sua parte do contrato obtendo da CML a autorização para mais 1 800 metros quadrados de construção a favor da Euroárea na urbanização dos terrenos da Luz, e obter da CM Seixal idêntica licença para ampliação em 30 000 metros quadrados da urbanização na Quinta da Trindade, no Seixal, de que esta empresa é proprietária.

Ou seja: o Benfica propôs-se servir de intermediário da Euroárea e junto das edilidades de Lisboa e do Seixal, a favor dos interesses da empresa. E se o fez, e se a Euroárea o aceitou, é logicamente porque a empresa concluiu que, por si só, não conseguiria convencer as autarquias a reverem e revogarem os planos municipais já aprovados. A Euroárea reconheceu não ter força de influência política para o conseguir; mas reconheceu também que o Benfica a tinha. E foi com este pressuposto que assinaram o contrato. Estamos perante um chocante caso de tráfico de influências, feito por um clube de futebol a favor de uma empresa privada e nos interesses de ambos. A força da «marca Benfica», como costumam dizer, é de tal ordem, que a direcção presidida por Luís Filipe Viera não hesita em assinar contratos onde se compromete a obter de autarquias regimes de excepção a favor de terceiros!

(...)

VOLTANDO ao contrato entre Benfica e Euroárea, o que parece ter complicado a posição contratual do Benfica é que, por um lado, a CM Seixal ainda não outorgou a tempo o alvará a favor da Euroárea que o Benfica se comprometeu a obter, e a CM Lisboa levou a expansão da área de construção da Luz a votação camarária e o projecto não passou. Houve uma votação que terminou empatada 5-5 e o presidente e benfiquista António Costa fez uma prévia declaração prescindindo do seu voto de qualidade. O Benfica já juntou o inevitável parecer jurídico, sustentando que o presidente, quando vota, tem sempre voto de qualidade (e devo dizer que, juridicamente, também acho o mesmo). Mas, no mínimo, o que António Costa deveria ter feito era abster-se na votação, ou, melhor e mais normal, ter recusado liminarmente o projecto porque cidade alguma pode ser governada com decisões de excepção a favor de clubes de futebol que vivem eternamente acima dos meios normais de que dispõem. Chama-se a isso fomentar a concorrência desleal e chama-se a isso dispor de coisa pública em benefício de interesses particulares.

(...)Alguma coisa está podre quando um clube assina contratos em que se compromete a obter junto das autarquias autorizações de construção a favor de terceiros.


A Agência Financeira (AF) contactou o administrador financeiro do clube (CFO), Domingos Soares de Oliveira, que não quis comentar o caso. Já fonte oficial do clube optou também por dizer que a posição do Benfica é a que está exposta no seu «Relatório e Contas». Nem mais uma palavra.

O que diz o «Relatório e Contas» sobre o caso

Nos documentos de 2006/2007 e de 2007/2008, consultados pela AF, o clube encarnado faz a mesma referência ao caso: explica, no capítulo dedicado ao balanço e demonstração de resultados, na rubrica de «outros credores diversos», que existe uma dívida com a Euroárea, no montante de 6 milhões de euros, «resultante dos acordos firmados em exercícios anteriores no âmbito do contrato promessa compra e venda dos terrenos da Urbanização Sul».

O Benfica avança ainda que a referida dívida «poderia vir a ser substancialmente reduzida, mediante a observação, que, sumariamente, envolviam o compromisso de construção do Centro de Estágios do Seixal no prazo máximo de 18 meses, nos termos já decididos pelo clube, a revogação da promessa de doação de lotes de terreno da Quinta da Trindade e a alteração de diversos alvarás de loteamento».

Tanto nas temporadas 2006/2007 como nas de 2007/2008, a posição do clube sobre o andamento da questão é o mesmo, usando as mesmas frases: tudo está encaminhado para o cumprimento dos «compromissos assumidos», mas fica no ar a hipótese de um cenário inverso. Escreve a SAD que a não ser cumprida, a dívida «poderá originar obrigações adicionais à sociedade».

O que dizem as câmaras de Seixal e Lisboa

Ainda de acordo com o «Sol», a Euroárea financiou o Benfica sob o compromisso, assumido então por Luís Filipe Vieira, que obteria das Câmaras de Lisboa e do Seixal novos alvarás para a ampliação dos projectos urbanísticos da empresa. Algo que o clube não terá cumprido.

Contactada pela Agência Financeira, a Câmara Municipal do Seixal explicou que está aprovado um alvará de licenciamento do loteamento da Quinta da Trindade que decorre o seu percurso normal. «Está na fase de execução dos edifícios de habitação», referiu fonte oficial.

Neste âmbito, está a ser elaborado um Plano de Pormenor designado Baía Sul, com vista à revitalização do núcleo antigo do Seixal. «Inclui o programa de dinamização e implementação da Náutica de Recreio que, para além de promover o desenvolvimento do Turismo e das actividades económicas complementares, fará o remate da malha urbana da Frente Ribeirinha do Seixal, com todas as urbanizações confinantes e com o património fundiário Municipal e da Administração do Porto Lisboa», esclareceu ainda a Câmara do Seixal.

A AF contactou ainda a Câmara Municipal de Lisboa mas a mesma não quis comentar o assunto, até por entender que se trata de uma questão que só ao Benfica diz respeito.

Segundo diz o «Sol», o projecto do clube, que passava pela alteração da licença de operação de loteamento na Urbanização Sul do Benfica, foi sujeito a votação e rejeitado.


Então à segunda votação...

Diferendo com a Euroárea
Câmara de Lisboa salva Benfica
Por Graça Rosendo

A Câmara Municipal de Lisboa aprovou o projecto do Benfica para a Urbanização Sul, na zona do Estádio da Luz, que tinha estado na origem de um dos diferendos do clube com a EuroáreaCom esta decisão, caem por terra os argumentos invocados por esta empresa para executar o clube judicialmente por causa de uma dívida no valor de 2,5 milhões de euros. A Euroárea comunicara ao Benfica, em Julho, que ia executar a letra por não terem sido cumpridos os prazos do acordo estabelecido com o clube para pagar essa dívida. Nesse acordo, estava incluído o compromisso de o Benfica conseguir da CML um aumento da capacidade construtiva na referida Urbanização Sul.

O clube levou a proposta à Câmara em Junho, que a chumbou. Mas no dia 31 de Julho, na última sessão antes de férias, e na sequência de uma reclamação do Benfica, a proposta foi de novo sujeita a votação e acabou por ser aprovada – com os votos favoráveis de todos os vereadores socialistas e dos independentes eleitos na lista de Carmona Rodrigues.


Daí o apoio de LFV a António Costa
Autárquicas – Lisboa
Apoios de Costa vão desde Eduardo Lourenço a Luís Filipe Vieira

por Lusa28 Setembro 2009

8 comentários:

Caneleiras de cortiça disse...

Ehehehheheh
:'-)

Dartacão disse...

li em 10 segundos

tio disse...

carrega, ENORME

Fuinha da Bola disse...

O FCP é que é o Futebol Clube Corrupção...é arbitragens e dinheiro por todos os lados...
mas o maior roubo foi o de 2004/2005 e de dinheiros é o que se vê...

Valdemar disse...

Cum filha da puta.

E eu a pensar que era um gajo desocupado...

joemorales disse...

Faz-nos bem olhar para os outros sem nos preocuparmos com nós mesmos...

Sérgio_alj disse...

Ora um lagarto/andrade preocupado com as contas do SLB!!

Isso é como um tuga preocupar-se com a economia de Madagáscar!!!

Get a job...

matrafisco disse...

Parece que no sabado aprenderam como é que se recebe alguém à porrada e depois se diz que a culpa é dos que responderam.
O campeão na secretaria dos juniores já está encontrado.
Este ano vai ser nos séniores.

:p

Pesquisa personalizada