sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Pringle, o carteiro

Aqui, como na vida real, Pringle, o sueco farrusco, chegou atrasado ao cruzamento.
O último jogador da nossa Nightmare Team é Martin Pringle, o matador de aspirações.
Martin chegou à Luz em 1996/97, e fez sonhar os adeptos. "O Carteiro", cognome que trouxe da Suécia, vinha para fazer dupla de avançados com Akwa ou Mauro Airez, e para ser servido por Gustavo, Lúcio Wagner ou Jamir.
Mas afinal o Carteiro apenas tocou 8 vezes em 55 passagens, e tinha tanto de jogador da bola como o Newman.

O que me lembro dele? Lembro-me que quando foi contratado ao Helsinborg, os suecos despediram-se dele com um cantico que aludia à falta de categoria do Martin para jogar em terras Vikings, quanto mais no Benfica.
Lembro-me dos defensores do Rojas pugnarem pela utilidade do Pringle, pelo mesmo motivo: "Eh pá, mas ele é esforçado";
Lembro-me do ano em que demos 3-0 ao FCP na Luz, com um golão do Deane, quando quase no fim do jogo o Souness ía andando à pêra com o Lula (acho) e o Tahar com o Jardel, o bom do Martin ria a bandeiras despregadas sentadinho no banco, enquanto todos os outros jogadores e tecnicos de ambas as equipas trocavam empurrões e impropérios (P.S. - encontrei. Acho que não dá para ver a galhofa do gafanhoto, mas ainda assim vale a pena)
E é basicamente o que me lembro deste gajo.
De resto, foi vendido para Inglaterra, acabou a carreira com uma perna partida em meia duzia de sitios e actualmente é treinador de futebol...feminino...de gajas...suecas!!! Ser cepo, compensa.

Remeto ainda para um outro post, aqui

2 comentários:

Ricardo disse...

Continuo a pensar no gajo do Benfica que viu este cepo e achou que tinha valor para jogar no clube. Ou era do Porto ou estava drogado.

E mesmo assim...

low desert puke disse...

è inconcebìvel terminar esse post sem um link para o plantel da suecas. Tsc-tsc.

Pesquisa personalizada