sábado, 7 de março de 2009

Brilhante


Leiam este post, substituam como eu, se for o caso, Sporting por Benfica, autocarro por metro, nave por pavilhão Borges Coutinho, le coq sportif por adidas, e mais um ou outro pormenor, e têm o relato dum tempo, não muito longínquo, em que o futebol tinha uma pureza e uma envolvencia sacra que já foi levada pelas SADs, SportTV, internet e até mesmo pela ASAE.
O nosso mundo de facilitismo, em que temos acesso a 20 jogos de futebol por semana, somos bombardeados por dezenas de noticias à distancia de um clique, em vez de termos de dar 80 paus pela Gazeta dos Desportos e em que ir ao Estádio é cada vez mais parecido com ir ao cinema, está a transformar o nosso querido futebol num negócio cada vez mais parecido com o wrestling. Falta-lhe a paixão, sacrificio dos adeptos e dos jogadores e a sensação de que cada jogo do nosso clube é a razão de vivermos (além das mamas da Sónia).
Dantes, o facto de sermos sócios do nosso clube era um orgulho. Pagavamos, da nossa semanada, para termos o direito de ter aquele cartão e de por a quota na bolsinha que teimava em rasgar-se. E mais nada. Não havia descontos em gasolina, cartões de crédito ou telefone associados, ou qualquer outro tipo de vantagem económica. Era simplesmente para podermos ir ao Estádio e para andar com ele na carteira.
Cada bilhete dum derby ganho era uma relíquia, que era guardado com o nome dos marcadores dos golos escritos no verso. Hoje em dia os bilhetes são démodé
Sabemos que nunca mais nada será como foi. Nem o futebol, nem nós. Nem as mamas da Sónia.
Espero é que o futebol não perca a alma que ainda tem.

2 comentários:

Carga d'Ombro disse...

Dá para postar uma foto da Sónia?

Chico Fonseca disse...

Nostálgico mas verdadeiro post. Ou Verdadeiro mas nostálgico?!?...É que se tem tentado esconder essa realidade, espremendo ao máximo as pequenas qualidades que ainda resta ao futebol português. Digo português porque cada vez mais me dá maior gozo ver um jogo com um estádio cheio, mesmo pela TV, do que ver um jogo sem adeptos mascarado por tambores monotonos e reveladores de out of ideas, onde os protagonistas são mais os arbitros e presidentes do que o futebol jogado.
Até nos jogos de Sporting já dou por mim a fazer um zapping para um Manchester, Barcelona ou até as mamas da Sónia, o que era impensável há uns anos atrás, mesmo contra um Vizela ou um Tirsense para a taça...Depois de um 0-5, hoje haverá grandes probabilidades disso acontecer... Não quero ver um desfile do Veloso, quero ver futebol!
Um passo importante seria realmente porem os jogos às 15:00. À antiga! Todos sabemos disso mas ainda restam umas pingas para espremer até toda a beleza do futebol ficar seca. E acaba-se a mama para sportv, empresários, arbitros, jornalistas, presidentes, Sindicato dos jogadores, dos treinadores etc.
Futebol à tarde sem tambores. é tudo o que eu peço.

Pesquisa personalizada